Uma breve história sobre mobilidade corporativa

Por Henrique von Atzingen RSS

Mobilidade corporativa

“Então a empresa publicou finalmente aquele app para seus clientes finais. Todos estavam com enormes expectativas, CEO, CIO, CMO, CDO. Até um comunicado interno rolou avisando a toda população da empresa que o app está disponível na Google Play e na App Store da Apple. No primeiro dia, euforia total! A quantidade de downloads superou a expectativa. A cúpula da empresa comemora na sala do CEO no final do dia. 

Mas algo estranho começa a ocorrer. No primeiro mês a maioria dos comentários dos usuários é negativa. O app fica com 3 estrelas na Google Play e 2 estrelas na App Store. E agora? O que fazer? O CEO espera ações imediatas dos CIO, CMO e CDO. Enquanto uma equipe da empresa vira a noite buscando ajustar o app para Android, outra equipe ajusta o para iOS. Nesse intermédio, a quantidade de downloads diminuiu para quase zero por semana. Ajustes feitos, app atualizado em ambas as lojas. Dedos cruzados em toda a empresa. Esse app era a principal aposta do ano para alavancar um novo canal com os clientes. Os downloads começaram a subir novamente, dessa vez bem devagar. A classificação nas lojas melhorou, mas não chegou a 4 estrelas em nenhuma das duas. Enfim, o projeto que seria um sucesso total estava morno em resultados. Enquanto isso, as duas equipes trabalhavam ao máximo para melhorar os apps. No segundo mês, o app para iOS já estava mais avançado e com mais features que o para Android. O líder de produto responsável pelo app Android falava que existem muito mais versões e tipos de aparelhos para serem testados e isso atrasa mais as versões para esse ambiente.

Em outro andar da empresa, o time de marketing fazia campanha pesada nas mídias sociais para alavancar mais downloads. Campanhas disparadas no Google, Facebook e Twitter. Os relatórios analíticos eram revistos diariamente e enviados para as demais áreas relacionadas aos apps. Os downloads começaram a crescer novamente. O app em suas versões iOS e Android estava quase alcançando as metas de engajamento esperadas. Até que os usuários de uma certa versão começaram a reportar que o app estava esquentando muito o celular e consumindo toda sua bateria. Time de testes entra em cena novamente e não consegue simular a mesma situação. Esse problema só está acontecendo com alguns usuários. Um usuário é convidado a visitar a empresa e mostrar o problema. Ao analisar o celular específico, é encontrado um código malicioso injetado no app. Esse código enviava em paralelo todas as fotos e filmes feitos no celular para um servidor desconhecido. Uma equipe tarefa com os altos dirigentes da empresa se reúne para decidir o que fazer. 

Cancelar o projeto do app? Tirar o suporte para o device e sistema operacional hackeado? Várias opções são analisadas. Muito já se tinha investido neste projeto. Não tinham mais como voltar atrás. Seria assumir o fracasso. O CMO sugere que a empresa buscasse no mercado alguma solução que tornasse todo esse processo de gerenciamento, segurança e deploy de apps mais simples. Era a imagem da empresa em jogo, diante do mercado consumidor mais promissor de todos. O mercado digital.”

Histórias como essa se repetem todos os dias nas empresas que entram no mundo de mobilidade sem um planejamento adequado. Várias questões como segurança, posicionamento nas lojas, atualização de sistemas operacionais, gerenciamento de novas versões, deploy e engajamento surgem trazendo problemas aos despreparados. Existem soluções para todos esse problemas e essas soluções passam por planejar e criar uma infraestrutura sólida para suportar todo o ambiente de mobilidade da empresa.

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!

Hvon é Head de Mobilidade na IBM, atua há mais de 18 anos no mercado de TI no Brasil.

Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar