Colaboração em meio à diversidade no local de trabalho

Por Colaborador externo RSS | em 18.03.2016 às 11h00

Diversidade

Por Pierre Rodriguez*

A diversidade no local de trabalho muda dinâmica e constantemente, além de aumentar e diminuir de acordo com as tendências globais de migração e de mobilidade, com os fluxos de capital, bem como o desenvolvimento urbano. A diversidade é uma vantagem competitiva ao operar e inovar para os mercados globais, apesar de ser também uma faca de dois gumes. Enquanto traz oportunidades às empresas preocupadas com o futuro, igualmente traz riscos para aquelas que não conseguem respondem adequadamente a essa dinâmica.

Com a crescente evolução no espaço de trabalho, a qual proporciona às equipes trabalharem em conjunto, a colaboração se torna ainda mais importante. A colaboração em toda a organização, por meio de seus profissionais, é vital para aproveitar o potencial de todos os funcionários e, assim, alcançar uma vantagem competitiva para a empresa.

Três grandes tendências de força de trabalho estão impactando os ambientes e a tecnologia de colaboração está bem posicionada para mitigar as deficiências que possam surgir entre as equipes de trabalho devido à diversidade.

Diversidade geracional

Dentro dos próximos dez anos, a população mundial aumentará em 1 bilhão de pessoas para chegar a 8 bilhões de pessoas. A geração Millennials/Geração “Y” entrará na força de trabalho, sendo que os nascidos nesta geração vão se tornar gerentes de nível médio, enquanto a geração anterior, os baby-boomers, deixará a economia.

A força de trabalho multigeracional é uma questão controversa e gerenciar as mudanças que vêm através dessa "diversidade geracional" é uma prioridade para as empresas.

Se caracterizarmos a Geração "X" como profissionais que executam e apreciam as longas horas de trabalho árduo, então, a Geração "Y" pode se resumir em um perfil de profissional que se concentra em trabalhar de forma mais intelectual e dinâmica, em vez de fazer de maneira mais difícil e, por vezes, exaustiva. Isto porque os nascidos na Geração Millennials/”Y” são nômades que anseiam por criatividade, mudanças e colaboração.

Nesta direção, as tecnologias de vídeo colaboração oferecem o face-time, ou seja, o vídeo ao vivo, em tempo real, que a geração “X” necessita para se tornar mais dinâmica e colaborativa no local trabalho. Como a vídeo colaboração apoia a mobilidade e a flexibilidade, o profissional da Geração "Y" é multitarefa e consegue maximizar seu dia. Então, essas tecnologias igualmente atendem a necessidade dos Millennials/”Y” que utilizam a vídeo colaboração com muita facilidade e naturalidade. Como nativos digitais, eles abraçam qualquer tecnologia que lhes permita transmitir e se expressar com facilidade. As pessoas da Geração “Y” são realmente naturais na adoção de recursos avançados de colaboração por meio de tecnologia de vídeo.

Diversidade étnica-cultural

A mobilidade global dos profissionais está em ascensão. O número de pessoas designadas por seus empregadores para funções de trabalho no exterior aumentou 25% na última década - e espera-se que continue a aumentar mais 50% até 2020.

Também existe um número crescente de trabalhadores remotos em tempo integral, cujos talento e habilidades correspondem às exigências da organização, mas que não podem se mudar para ficar perto de uma sucursal, e, portanto, trabalham a partir de um local internacional.

Ao trabalhar com os membros da equipe internacional e colegas de trabalho em locais distribuídos, não há substituto para uma comunicação e interação “cara a cara”. Esta e outras razões que vão desde as diferenças culturais no estilo de comunicação, brevidade, pronúncias a construção de relacionamentos são necessárias para se construir um argumento convincente para a colaboração. No entanto, com a tecnologia de vídeo colaboração, o trabalho em equipe eficaz e a manutenção das conexões pessoais com colegas de trabalho pode ser feita em tempo real, instantaneamente e com qualidade próxima à interação “cara a cara” e proporcionando a mesma confiança que presencialmente.

Diversidade de propriedade ou posse

Durante a última década, as empresas mudaram a forma como aproveitam a força de trabalho expandida. A força de trabalho estendida refere-se a uma rede de profissionais independentes, consultores, parceiros terceirizados, fornecedores e, até mesmo, aposentados que podem ser de confiança para executar funções destinadas a projetos especiais de curto prazo nas empresas. Este grupo de trabalho tem crescido de forma constante, uma vez que as empresas cada vez mais fazem deste grupo um componente-chave da estratégia corporativa porque possibilita às empresas responderem com rapidez e competência às mudanças nas condições de mercado.

A vídeo colaboração apresenta-se como uma tecnologia vital para aproveitar o melhor de força de trabalho estendida. Já que o tempo com a empresa é restrito, os gestores muitas vezes avaliam que eles precisam de um plano sólido e uma lista completa das atividades que devem ser discutidos regularmente e que seria improdutivo com perda de tempo em viagem ou deslocamento para o prazo de execução de projetos. 

Há evidências crescentes de que a diversidade no local de trabalho está ligada à melhoria do desempenho das empresas e das economias. A fim de aproveitar todo seu espectro de benefícios, as empresas têm de ser seletivas e certificar-se de que a tecnologia de vídeo colaboração firma-se no mercado para agregar e promove eficazmente o desenvolvimento de profissionais e dos negócios.

*Por Pierre Rodriguez, Vice-Presidente América Latina e Caribe da Polycom

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar