Investimento em TI chegará a US$ 3,54 trilhões em 2016, afirma Gartner

Por Redação | em 25.01.2016 às 09h19

tecnologia

O Gartner anunciou suas primeiras previsões para o mercado de TI em 2016. Segundo a consultoria, o mercado de TI terá um crescimento de apenas 0,6% sobre os gastos registrados em 2015. O total de investimentos para este ano chegará a US$ 3,54 trilhões, pouco acima dos US$ 3,52 trilhões registrados em 2015, quando houve um recuo considerável de 6% no total de investimentos em relação a 2014.

A projeção é que os níveis de investimento de 2014 não sejam ultrapassados até 2019. "O aumento do dólar americano é o vilão por trás dos resultados em 2015", disse o vice-presidente de pesquisas do Gartner, John David Lovelock. Já o mercado de dispositivos, que inclui computadores, smartphones, tablets, entre outros, deverá diminuir em 1,9% em 2016. O enfraquecimento de economias de países como Brasil, Rússia e Japão aliado à fraca adoção ao tablet nas regiões onde havia uma grande expectativa de crescimento contribuem para a queda.

Os gastos envolvendo sistemas de data centers deverão chegar a US$ 75 bilhões neste ano, um aumento de 3% em comparação com o ano de 2015. O mercado de servidores tem visto a maior mudança desde a previsão do trimestre anterior, com uma demanda maior do que a esperada por parte do setor de hiperescala que tem durado mais tempo do que se imaginava. É provável que a demanda neste segmento para 2016 continue forte.

Os gastos com TI em mercados emergentes devem totalizar US$ 326 bilhões, um aumento de 5,3% em comparação a 2015. Apesar disso, países como Brasil e Rússia enfrentam crescentes problemas de caráter econômico e político. As organizações nessas regiões devem equilibrar o corte de custos com oportunidades de crescimento durante os tempos de preocupação econômica.

Após uma queda de 4,5% em 2015, os gastos no mercado de serviços de TI devem voltar a crescer em 2016. Para este ano a previsão é que as despesas com serviços de TI cheguem a US$ 9,40 bilhões, um aumento de 3,1% na comparação com 2015. A forte aceleração da adoção da infraestrutura em nuvem e a aceitação deste modelo por parte dos consumidores é a principal responsável. Já as despesas referentes aos serviços de telecom deverão diminuir cerca de 1,2% em 2016, chegando a US$ 1,45 trilhões. A abolição das taxas de roaming na União Europeia e em partes da América do Norte deverá afetar o segmento. Além disso, o tráfego móvel de voz e dados será insuficiente para compensar a perda das receitas oriundas de tarifas de roaming.

Via Gartner

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar