SoundCloud firma acordo de licenças com a Sony Music

Por Redação | em 18.03.2016 às 18h51

Soundcloud

O SoundCloud acaba de assinar um acordo de licenças com a Sony Music. Dessa forma, o serviço de streaming de músicas ganha acesso aos três principais selos da SM, os quais abrigam artistas como Beyoncé, The Weekend, Future, Bruce Springsteen, Foo Fighters, Miguel, Justin Timberlake e Calvin Harris – pavimentando o que pode ser um caminho rumo à adoção de um modelo de negócios baseado em pagamentos mensais.

Em contrapartida, o selo da Sony ganha equivalência patrimonial – ajuste contábil realizado a fim de determinar o valor dos investimentos de uma companhia em outras empresas, realizado por meio de atualização do valor contábil ao valor equivalente à participação societária de uma empresa.

Segundo o burburinho predominantemente instalado internet afora, o SoundCloud deve lançar um plano baseado em assinaturas antes do final do ano – enquanto que algumas fontes anônimas próximas garantem que os acordos firmados com grandes produtoras permitiria, de fato, a instalação de um serviço on-demand similar ao Apple Music ou ao Spotify.

beyoncé

Warner, Universal e Merlin

A parceria firmada com a Sony Music é a última de uma lista de acordos levados a cabo pelo SoundCloud. Atualmente, o streaming de músicas já tem também à disposição os conteúdos da Warner Music Group, da Universal Music e também da rede de selos independentes Merlin.

Entretanto, é inegável que o termo buscado com a Sony Music foi um tanto mais desafiador. Afinal, o estúdio havia removido suas músicas do streaming no ano passado, supostamente por conta de um descontentamento com “a falta de oportunidades de monetização”, conforme colocou o site Billboard.

E os 175 milhões de usuários?

Naturalmente, a “benção” dos maiores selos de música da atualidade apenas pode ser positivo para a inauguração de um modelo baseado em assinaturas. Entretanto, resta ainda ao SoundCloud um desafio bastante delicado: o que fazer com a base instalada de 175 milhões de usuários ativos – todos devidamente acostumados à utilização gratuita do streaming?

Seja como for, a coisa parece ser menos decisão estratégica do que necessidade premente. Conforme afirmou uma fonte próxima ao site The Verge, “eles precisam fazer isso funcionar para que o SoundCloud possa mesmo ter um futuro em longo prazo”.

sony music studios

US$ 10 ou menos

Inicialmente, discutia-se que a taxa cobrada por um possível serviço pago do SoundCloud deveria ficar nos US$ 10 mensais, embora um serviço intermediário de valor mais baixo não tenha sido excluído – ambos com lançamento previsto para algum momento antes do final de 2016.

Seja como for, não é difícil apostar em certa vantagem para o canal de distribuição berlinense. Afinal, os grandes artistas dos principais selos teriam ainda o reforço de todo o enorme mostruário de músicas já presente – o que certamente pode destacá-lo de outros serviços pagos de streaming.

Até o momento, entretanto, tanto a Sony Music quanto o SoundCloud se mantêm reticentes quanto ao futuro – e mesmo em relação aos termos do próprio acordo.

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar