Como a Internet pode tornar a vida mais sustentável

Por Colaborador externo RSS | em 07.01.2015 às 09h31

Inovação

Por Vagner Luis*

Em 2006 a Receita Federal iniciou a implantação da Nota Fiscal Eletrônica no Brasil. Entre os objetivos principais estavam a otimização de processo do envio e armazenamento do documento, a necessidade de combater a sonegação e a facilidade de adesão para pequenos empresários. Em paralelo, a iniciativa também ajudou a reduzir o desmatamento de árvores. Isso porque de lá para cá foram emitidas mais de nove bilhões de notas eletrônicas, o que resulta em uma economia de 36 bilhões de folhas de papel (uma nota fiscal tradicional possui quatro vias).

Realizando uma conta simples com a gramatura e metragem do papel, chega-se à conclusão de que 1,6 milhão de árvores foram preservadas nos últimos oito anos. Se esse montante de papel fosse colocado lado a lado, teria 3,6 mil quilômetros e poderia percorrer a distância entre as cidades de São Paulo à Rio Branco, no Acre (cerca de 3,5 mil quilômetros separam os dois municípios).

O exemplo da nota fiscal eletrônica é um caso prático de como a Internet pode melhorar a vida no mundo real e incentivar práticas sustentáveis. O desenvolvimento da tecnologia em nuvem, por exemplo, possibilita o compartilhamento de arquivos em diferentes dispositivos, evitando imprimir toneladas de papel. A iniciativa ganha espaço no ambiente corporativo. No Brasil não há ainda um estudo efetivo sobre o consumo nas empresas, mas um levantamento da organização AIM nos EUA mostra que 35% das companhias norte-americanas adotaram medidas efetivas para a redução do papel.

Porém, mais do que economizar celulose, a Internet deve ser encarada como um meio facilitador para implantar atitudes sustentáveis, em todos os sentidos. A quantidade de informação existente na web, a evolução tecnológica que garante a participação de mais usuários e a propagação rápida de novos conceitos permitem o abandono de antigos hábitos que agridem o meio ambiente e viabilizam o surgimento de novas ideias.

Por exemplo, ir ao banco e fazer compras são duas atividades rotineiras que podem ser feitas no mundo online. Em corporações, a teleconferência substitui a visita e reunião com parceiros, tirando mais carros da rua. Até mesmo o simples fato de ouvir música na nuvem traz benefícios para o meio ambiente: evita gastos com equipamento e elimina o descarte incorreto de CDs, DVDs, capas e encartes.

Por fim, a Internet se transformou em uma importante ferramenta de engajamento. As manifestações ocorridas no Brasil nos últimos meses foram organizadas e difundidas em sites, redes sociais e fóruns eletrônicos. No mundo virtual é possível atrair seguidores e divulgar informações sobre sustentabilidade e sua importância para o planeta, o chamado ativismo virtual. A vida online não para de crescer na sociedade. Resta agora fazer com que os benefícios possam chegar ao mundo offline.

*Vagner Luis é Diretor Executivo da GreenClick, empresa que contribui com a neutralização da emissão de CO2 no país.

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar