Hugo Barra, ex-Xiaomi, comandará divisão de VR do Facebook

Por Redação | em 26.01.2017 às 03h10

Da Xiaomi direto para o Facebook. Após anunciar a sua saída da fabricante chinesa de smartphones, o executivo brasileiro Hugo Barra afirmou que ia buscar novos desafios no Vale do Silício. Entretanto, o que foi revelado somente na madrugada desta quinta-feira (26), é que ele vai liderar a divisão de realidade virtual do Facebook.

A notícia foi dada por Barra em sua conta do Twitter, postando uma foto de seu avatar em realidade virtual ao lado do avatar do CEO do Facebook, Mark Zuckerberg.

Segundo divulgou Zuckerberg, ele ficará à frente de todos os projetos da companhia sediada em Menlo Park, incluindo a Oculus, empresa de óculos de realidade virtual adquirida pelo Facebook em 2014.

Barra ocupará a cadeira deixada pelo CEO da Oculus Brendan Iribe, que saiu da presidência da empresa para assumir um cargo menor e mais voltado ao desenvolvimento de produtos.

Ao falar da contratação, Zuckerberg revelou que conhece Barra desde seu trabalho à frente da divisão Android no Google. Para o CEO da rede social, ambos compartilham a convicão que tecnologias de realidade virtual (VR) e aumentada (AR) serão a grande plataforma tecnológica no futuro, após os dispositivos móveis.

Como sinal dessa confiança, a empresa pretende investir cerca de US$ 3 bilhões nos próximos dez anos para espalhar tecnologias de VR para um público maior.

Embora a experiência de Barra seja maior na parte mobile, tanto no Google com o Android quanto na Xiaomi, ele já tem um pouco de familiaridade. No ano passado, ele lançou um óculos de realidade virtual com a Xiaomi, o Mi VR.

Mesmo com a confiança do anúncio de seu retorno ao Vale do Silício, Barra tem sua parcela de polêmica o acompanhando. A sua saída da Xiaomi não foi sem alguns percalços. O executivo amargou uma malfadada investida no Brasil. A empresa desembarcou no país na metade de 2015, mas desde então não lançou mais do que um smartphone no país e discretamente diminuiu sua presença no mercado, fazendo muitos acreditarem que ela estaria de saída. Com Barra anunciando sua saída da companhia chinesa no dia 22 de janeiro deste ano, o futuro da Xiaomi no Brasil ficou mais incerto.

No Vale do Silício, quando estava no Google, Barra também se envolveu em outro escândalo. Segundo fontes, sua saída do Google, em 2013, teve ligação com uma traição amorosa de Amanda Rossberg, gerente de marketing do Google Glass, que teria trocado Barra por ninguém menos que o co-fundador do Google, Sergey Brin.

Enfim, agora Barra está de volta ao Vale. Esperemos pelos próximos capítulos.

Fonte: TechCrunch

Assine nosso canal e saiba mais sobre tecnologia!
Leia a Seguir

Comentários

Newsletter Canaltech

Receba nossas notícias por e-mail e fique
por dentro do mundo da tecnologia!

Baixe já nosso app Fechar

Novidade

Extensão Canaltech

Agora você pode ficar por dentro de todas as notícias, vídeos e podcasts produzidos pelo Canaltech.

Receba notificações e pesquise em nosso site diretamente de sua barra de ferramentas.

Adicionar ao Chrome